Saving, o processo que economiza e fortalece imagem CWBEM

 

Você sabe o que é Saving? Trata-se de uma avaliação feita por especialistas para que qualquer negócio entenda como está a geração de economia de um departamento. A proposta do Saving é calcular a diferença entre um orçamento versus o que foi adquirido e gasto, ou seja, é um raio-x que mostra como um setor pode economizar.

Um dos setores que mais podem se beneficiar do Saving é o das embalagens, cuja  economia gerada pela prática faz todo o sentido.  Se analisarmos o levantamento MCC-ENET, do Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico em parceria com o Movimento Compre & Confie, as vendas do setor eletrônico dispararam em junho deste ano, atingindo uma alta de 110,52% se comparado com junho de 2019. Se há mais pedidos, também há a necessidade de mais embalagens:

“Quando uma empresa não aplica ações e ferramentas que gerem  saving em suas operações ela fica automaticamente mais propensa à ação de concorrentes que praticam esse princípio de economia interna. O Saving é básico para redução de custos para a gestão de embalagens, deixando a empresa mais competitiva” explica Renato Pádua, Coordenador Comercial CWBem.

Redução de custos
No Brasil, os gastos com logística consomem 12,37% do faturamento das companhias, e as embalagens tomam muito tempo da sua equipe, gerando custos. Mesmo com o uso de aplicativos, essa a tecnologia precisa ser orientada por um estudo feito por especialistas que vão otimizar o processo.

“Uma empresa do setor de alimentos industrializados consegue trazer de volta, para a sua área produtiva, as suas caixas de papelão que são utilizadas no processo de embalagem de seus produtos. O Saving criado para esta empresa se amparou na cadeia logística, permitindo que esta mesma caixa que chega até os pontos de vendas possa voltar, ser tratada e inserida novamente. Neste trânsito, uma mesma caixa tem uma vida útil que pode chegar a até sete reutilizações” exemplifica Renato.

Economia significativa
Fazendo uma conta simples para ilustrar o que isso significa, se considerarmos que uma caixa de papelão ondulado no modelo utilizado como exemplo, custa em média R$ 2,60, uma operação que utiliza cerca de 100.000 caixas por mês terá o custo de R$ 260.000 para envio, somente em embalagens. Considerando um cenário em que consigamos trazer de volta um percentual de 30% desse volume para reaproveitamento e tendo um aproveitamento de retorno de 4 vezes em média por caixa teremos um saving anual superior a um milhão de reais já considerando os custos da operação de logística reversa, estrutura e equipes de separação e reenvio – explica Pádua.

“Além do ganho financeiro, o saving de embalagens impacta na  sustentabilidade. Reutilizar esse produto significa deixar de consumir caixas novas, com menos árvores derrubadas e menos consumo de energia e água que são utilizadas no processo de fabricação das mesmas. É o lado ecológico do saving.” completa Pádua.